Defesa de Canelinha afirma que ele “buscou a proteção do interesse público” em atos envolvendo abatedouro

Defesa de Canelinha afirma que ele “buscou a proteção do interesse público” em atos envolvendo abatedouro

O escritório de advocacia que representa o vereador Carlos Remi Pacheco, o Canelinha, na ação movida pelo Ministério Público, a partir de investigações feitas pela Procuradoria dos Prefeitos, que acusa o edil e o prefeito afastado de Viamão, André Pacheco por improbidade administrativa, emitiu nota na noite desta sexta-feira (28).

De acordo com o texto assinado pelos advogados Michel França, Rafael Mennet e Daniel Hartz Anacleto, foi demonstrado que “os fatos apontados pelo Órgão Ministerial na denúncia não constituem crime”. A defesa afirma que Canelinha “não advogou administrativamente para satisfazer interesses particulares” e que “em nova fiscalização, sugerida por uma comissão julgadora composta por cinco membros e acolhida por Carlos Remi a empresa voltou a ser autuada e permanece fechada até hoje”.

Para os advogados não houve favorecimento particular para Canelinha (que hoje ocupa uma cadeira na Câmara de Vereadores). Os advogados frisam ainda que o recebimento da denúncia contra o político “não caracteriza nenhum juízo de culpa, isso apenas marca o início da ação penal”.

A nota (que pode ser conferida em sua íntegra logo abaixo) termina afirmando que “ainda que a sociedade em geral esteja angustiada por persecuções penais a qualquer custo, o desrespeito às garantias processuais é um preço alto demais a se pagar. Afinal, amanhã, a mesma violação poderá perseguir outros inocentes”.

Veja a publicação:

200828 CARLOS REMI – NOTA DA DEFESA

Foto: Priscila Muzykant/Câmara de Vereadores de Viamão

ffbernardes

ffbernardes

Um comentário em “Defesa de Canelinha afirma que ele “buscou a proteção do interesse público” em atos envolvendo abatedouro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido