Em conversa com a imprensa, Valdir Bonatto fala de André Pacheco, fake news, R$ 17 milhões e inelegibilidade

Em conversa com a imprensa, Valdir Bonatto fala de André Pacheco, fake news, R$ 17 milhões e inelegibilidade

Em entrevista coletiva realizada a manhã desta quinta-feira (10), o pré-candidato à prefeitura de Viamão e ex-prefeito do município, Valdir Bonatto fez uma série de análises sobre o momento do município e prospectou o que imagina para o futuro da Velha Capital. A conversa com jornalistas durou cerca de 1h30 e Bonatto falou sobre política, fake news, saúde e sobre o processo ao qual o torna inelegível até 2027.

 

Governo André Pacheco

Bonatto iniciou sua fala com o que ele chamou de “um rápido histórico” do que Viamão viveu desde sua eleição em 2012. Disse que reuniu forças vivas da cidade com o objetivo de gerar emprego, renda e desenvolvimento do município. Frisou que os números obtidos com o trabalho fez com que a receita dos cofres municipais aumentassem em cerca de 25% apenas no 1º ano de sua gestão. O político disse que o objetivo era criar um panorama de desenvolvimento para Viamão até 2030 e que isso iria atrair a vinda de grandes empresas.

Para Bonatto, a aprovação de seu governo possibilitou que ele alçasse como sucessor uma pessoa que desse continuidade ao projeto, porém para o político, o prefeito eleito pelo projeto “perdeu o rumo, deixando de cumprir as obrigações que nós imaginávamos necessário”, afirmou.

O ex-prefeito disse que com o passar do tempo entendeu que houve erro na escolha dos líderes que sucederam seu governo. Reiterou que nenhuma das pessoas de seu partido que apoiavam André Pacheco, roubou. Para Bonatto, os integrantes de seu partido operavam como um grupo anticrime. Durante a fala, o ex-prefeito afirmou André Pacheco foi eleito com o objetivo de entregar serviços de qualidade para a cidade e que transformou o ambiente público num espaço privado para desviar dinheiro público.

O ex-prefeito afirmou acreditar que houve falta de habilidade política de André Pacheco. Disse que o problema criado na gestão 2017-2020 é de responsabilidade de Pacheco e que ele é o chefe da quadrilha. Para Bonatto, André tomou a decisão de afastar um grupo político que trabalhava pelo município.

 

Eleições 2020

Valdir Bonatto afirmou a Operação Capital, que culminou com o afastamento de Pacheco, foi determinante para sua decisão em concorrer no próximo pleito. Falou que houve uso do poder político na tentativa de lhe tirar da eleição.

Para o ex-prefeito, é preciso olhar para 2021 pensado em como driblar as dificuldades. O político disse que a sociedade viamonense vai às urnas com um sentimento muito mais dolorido que outras comunidades. Para ele há a sensação de que o povo foi roubado.

Fake News

Valdir Bonatto disse que uma série de notícias falsas foram propagadas contra ele. Afirmou que as publicações foram encaminhadas ao Ministério Público, judiciário e polícia e que os investigadores já descobriram, entre outras situações que as notícias falsas partiram de computadores da prefeitura e foram espalhadas na rede mundial de computadores a partir do telefone de um funcionário já identificado. Por outro lado, Bonatto disse que vai acionar judicialmente as pessoas que difundem informações falsas a seu respeito.

 

Inelegibilidade

Valdir Bonatto lembrou o fato de que o processo que o tornou inelegível por 8 anos ocorreu após a Câmara de Vereadores reprovar as contas de 4 anos de seu mandato, mesmo com parecer favorável tanto do Tribunal de Contas do Estado como na Comissão da Câmara.

O político disse que não há dívida processada ou lançada em seu CPF e que os apontamentos do Tribunal de Contas que geraram dúvidas em R$ 17 milhões foram feitas de maneira pontual e cujas explicações foram devidamente apresentadas.

Bonatto disse que esperava que a liminar contra a Fazendo Pública fosse, de fato, indeferida uma vez que é preciso ouvir as alegações da casa legislativa. O político disse que a Câmara de Vereadores já foi notificada pela justiça e que deve se manifestar em curto prazo.

 

Agricultura

Para o pré-candidato à prefeitura viamonense, o agronegócio precisa ser reestruturado no município e que o poder público deve ser o grande balizador do sistema. Falou sobre a produção de peixe no município, que segundo ele é, do ponto de vista econômico, a cadeia do peixe é a que dá mais resultado à quem produz, comercializa e consome na própria cidade e região.

Saúde

O ex-prefeito afirmou que é necessário estabelecer piso e teto dos valores assumidos nas parcerias público-privadas. Citou que a prefeitura é responsável por estabelecer as condicionantes. Para ele, o poder público é responsável por fazer as concessões e dar publicidade a elas. Valdir Bonatto finalizou afirmando que o problema da saúde não é falta de dinheiro e sim de gestão.

ffbernardes

ffbernardes

2 comentários sobre “Em conversa com a imprensa, Valdir Bonatto fala de André Pacheco, fake news, R$ 17 milhões e inelegibilidade

  1. kkkk quanta ingratidao coitado privatizou a prefeitura usou e abusou do cargo sob a chancela do plano diretor se apropriou de areas fez compras se utilizando de sua posiçao nem declarou seu patrimonio corretamente kkkkkk lig lig os fatos o grande senhor dos cartorios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: