Polícia Civil apreende mais de 1,5 ton de carne em operações em Porto Alegre e Taquara

Polícia Civil apreende mais de 1,5 ton de carne em operações em Porto Alegre e Taquara

Agentes da Polícia Civil realizaram nesta terça-feira (12), duas operações de combate a abigeato e também as relações de consumo.

Em Porto Alegre, num trabalho em conjunto com as secretarias de Desenvolvimento Econômico e também a de Saúde, ocorreu uma fiscalização para o combate a comercialização de carne sem procedência. No trabalho, dois locais foram interditados pois operavam de maneira clandestina.

Na ação, a polícia deparou-se com o funcionamento de um açougue e um entreposto de carnes, ambos clandestinos e situados na Rua Neves, Bairro Santa Tereza. Um homem de 59 anos foi preso.

No açougue, além da prisão do homem, a polícia encontrou produtos que eram manuseados fora da temperatura adequada. No local que não possui os alvarás necessários para funcionamento, foram apreendidos 364,9 kg de alimentos impróprios para o consumo humano, além de um veículo usado na distribuição das carnes.

Já num segundo ponto, a polícia prendeu, em flagrante, um homem de 51 anos. No local funcionava um entreposto de carnes. O indivíduo foi flagrado fracionando e armazenando a carne, sem o devido registro do Serviço de Inspeção Municipal. Ali a Polícia Civil apreendeu 819,6 kg de carnes.

Já em Taquara foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão, em frigoríficos e estabelecimentos comerciais de vendas a varejo, havendo a apreensão de 500 kg de carne imprópria para o consumo humano.

De acordo com a Delegacia de Polícia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e Abigeato (Decrab) de Bagé responsável pela investigação, foram mais de oito meses de monitoramento. Segundo a polícia havia um grande esquema criminoso, composto por vários frigoríficos e estabelecimentos comerciais, especializados no comércio de carne: sem procedência; imprópria para o consumo humano; e, de animais furtados.

A polícia comprovou que em muitas vezes um dos frigoríficos investigados recebiam os animais já carneados, ao invés de abatê-los em locais apropriados.

Durante o período de investigação a polícia apreendeu cerca de 10 toneladas de carne imprópria para o consumo humano e equipamentos utilizados para falsificação de carimbos e embalagens de carne bovina.

ffbernardes

ffbernardes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido