Sinal Vermelho na região metropolitana. Veja o que pode ou não funcionar em cada setor

Sinal Vermelho na região metropolitana. Veja o que pode ou não funcionar em cada setor

A atualização das cores das bandeiras no distanciamento controlado na região metropolitana de Porto Alegre vai obrigar não apenas o poder público, mas as empresas privadas a se adequarem a uma nova realidade. Apesar da divulgação das cores ser semanal, a tendência inicial é que não haja, na próxima semana, nenhuma alteração em sua cor, o que deve impactar diretamente as relações de consumo e consequentemente as empresas.

Em todas as bandeiras as empresas e o poder público tem a obrigação de seguir a risca protocolos de segurança como: utilização de máscara, distanciamento, teto de ocupação, higienização, EPIs, proteção de grupo de risco, afastamento de casos, cuidados no atendimento ao público e atendimento diferenciado para grupos de risco.

 

Veja o que passa a valer a partir da próxima segunda feira em cada área apresentada pelo governo do Rio Grande do Sul:

Administração Pública

São mantidas na integralidade os serviços de segurança pública, fiscalização e inspeção sanitária. Na área política e administração de trânsito o trabalho deve ser feito por, no máximo, 75% dos funcionários. A prioridade de atendimento nestes casos deve ser pelo tele atendimento. Já os centros de formações de condutores devem oferecer aulas teóricas de maneira remota.

Administracao_Publica_VERMELHA-1

Agropecuária

A mudança na cor da bandeira de laranja para vermelha vai fazer com que o setor, além de seguir a risca os protocolos citados anteriormente, tenha na agricultura, pecuária, serviços relacionados e produção florestal, um funcionamento com 50% dos trabalhadores aptos para a execução dos trabalhos. Na pesca e nas demais atividades de aquicultura esse número ai ser reduzido para 25% da quantidade total de trabalhadores.

Agropecuaria_VERMELHA-1

Alimentação

Os protocolos de segurança são enfáticos ao afirmar que restaurantes a la carte, prato feito e buffet sem autosserviço devem funcionar com a metade de seus funcionários. Além disso, o atendimento ao público no estabelecimento está vedado, ou seja, a comercialização dos alimentos deve ser feita apenas em tele entregas, drive-thru, e pegue e leve. O mesmo vale para lanchonetes e padarias.

 

Já os restaurantes de autosserviço estão proibidos de funcionar enquanto perdurar o modelo de bandeira vermelha.

Alojamento_e_Alimentacao_VERMELHA-1

Comércio

Por ser o principal setor, sobretudo pelo envolvimento de pessoas na mão de obra, o comércio vai ter as restrições mais duras. Lojas de veículos e oficinas mecânicas devem operar no chamado tele trabalho. Serviços internos podem ser feitos, porém de maneira restrita e, com no máximo, 25% dos trabalhadores.

 

O comercio atacadista deve operar com 25% de sua capacidade de funcionários e a entrega de produtos comercializados deve ser feita pela por tele entrega, drive-thru, ou pegue e leve. Já as empresas que comercializam itens considerados essenciais devem trabalhar com a metade da quantidade de funcionários. O atendimento presencial nestes casos deve ser restrito.

 

O comércio varejista por sua vez, subdividido pelo governo gaúcho em 4 setores é o que vai sofrer com mais protocolos. De acordo com os protocolos estaduais, todas as empresas varejistas que comercializam produtos considerados não essenciais estão proibidas de abrir.

 

Empresas que comercializam gêneros alimentícios devem funcionar com 50% da quantidade de funcionários, com atendimento restrito. O mesmo vale para as empresas, de rua, que comercializam produtos considerados essenciais. Estes estabelecimentos devem priorizar as tele entregas, o drive-thru, e o chamado pegue e leve (que é quando o cliente faz a compra e vai ao estabelecimento apenas para buscar os produtos).

 

Já os postos de combustíveis devem funcionar com a metade dos trabalhadores. Nos locais devem ser evitadas as aglomerações de pessoas.

 

Em contato com a reportagem de Bernardes Digital, Milton Pires, presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Viamão (CDL), afirmou que o posicionamento da entidade é pelo não fechamento do comércio. Para ele não faz sentido a bandeira vermelha. Milton salienta que os houve melhora nos números apresentados na comparação entre as duas últimas semanas.

 

O presidente da CDL afirma que há a possibilidade, por exemplo, da instalação de um hospital de campanha na Velha Capital. Ele afirma acreditar que o governo municipal recorra da decisão do estado.

Comercio_VERMELHA-1

Educação

As atividades de sala de aula seguem no modelo remoto.

Educacao_VERMELHA

Indústria

O setor industrial também vai sofrer, em menor escala, o impacto causado pela bandeira vermelha que vai prevalecer nos próximos dias. A orientação do governo, em todas as áreas, é de que haja prioridade no tele trabalho. A presença dos trabalhadores nas empresas deve ser restringida para diminuir a circulação de pessoas.

Industria_VERMELHA-1

Informação e Comunicação

As empresas devem priorizar o tele trabalho. O funcionamento das empresas de mídia em seus escritórios/estúdios/redações, devem obedecer 75% dos trabalhadores.

Servicos-de-Informacao_VERMELHA-1

Saúde

Os serviços de atenção à saúde humana e ainda as atividades da assistência social devem ser mantidos a pleno, com os devidos cuidados de distanciamento e higiene. Já o atendimento veterinário deve ser prioritariamente remoto com o atendimento presencial restrito.

Saude_VERMELHA-1

Serviços

Nesta área o impacto segue profundo, uma vez que seguem proibidas atividades que causem aglomeração de pessoas. Com isso, ficam fechados a partir da próxima terça-feira empresas como: casas noturnas, bares e pubs; parques temáticos e similares; bibliotecas; CTGs; academias de ginásticas; clubes; cabeleireiros e barbeiros; agências de turismo e; serviços domésticos.

Servicos_VERMELHA-3

Transporte

Principal meio de deslocamento de pessoas entre os locais, o ônibus, vai ser a área com maior impacto. De acordo com os protocolos estabelecidos, os coletivos devem funcionar com a metade da capacidade total do veículo. Já os ônibus de linhas seletivas e executivas devem ter a ocupação máxima de metade de sua lotação.

Transporte_VERMELHA-3

Utilidade Pública

As atividades consideradas de utilidade pública devem se adequar a possibilidade de tele trabalho e a execução de serviços devem ser mantidas em sua integralidade.

Servicos_de_Utilidade_Publica_VERMELHA-1
ffbernardes

ffbernardes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido